Preview – F1 2018 – O que queremos e o que esperar do novo jogo?

Imagem – Codemasters

No dia 24 de agosto de 2018, no mesmo final de semana do Grande Prêmio da Bélgica, a Codemasters lança o seu novo jogo de Formula 1, o F1 2018, para PC/Steam, Xbox One e Playstation 4.

A Codemasters prometeu um jogo com carreira mais imersiva e maior que no F1 2017 e já foi divulgado a inclusão de dois novo carros clássicos: a Brawn GP 001, que deu o único título da Jenson Button e o terceiro lugar a Rubens Barrichello e a Williams FW25, do ano de 2003, onde pilotaram Juan Pablo Montoya e Ralf Schumacher. A produtora prometeu a divulgação de novos carros clássicos nas próximas semanas, de modo a incrementar ainda mais o jogo.

Interessante também será a visualização da interior do carro com a inserção do halo na maior categoria do automobilismo.

Certamente terão melhorias gráficas, para aproveitar o potencial máximo dos hardwares, principalmente Xbox One X e PC.

Porém, além de novas adições, a Codemasters precisa corrigir alguns erros que estão ocorrendo pelo menos desde o F1 2016.

Primeiramente, é inaceitável que um jogo de tal envergadura não tenha a opção de salvar replay da corrida, seja ela on line ou não. Para a prática de e-sports seria fundamental a sua existência do mesmo modo que já existem em outros jogos, como Project Cars 1 e 2.

Outro ponto que necessita de correção é a questão do safety car.

No jogo atual bem como no F1 2016 ainda apresentam as mesmas falhas de sempre, principalmente no modo on line: o aparecimento de diversas ocasiões, quando já não há mais acidentes, punições indevidas, entre outros.

No que tange ao modo carreira, seria bem interessante que houvesse a troca de pilotos entre as equipes ou que existisse algum modo utilizando os carros clássicos ao longo do tempo até os dias atuais, com a possibilidade de você fazer uma verdadeira carreira, inclusive com a mudança de carros de uma temporada para outra.

Ainda no que tange aos carros clássicos, deveria ser mais fiéis à época, como por exemplo, com Kers e DRS, caso existissem na época, bem como os pneus existentes. Para exemplificar, no F1 2017 só existem 2 tipos de pneu para os carros clássicos (seco e chuva).

Outro ponto que deveria ter é suporte aos óculos de realidade virtual, como Oculus Rift, HTC Vive ou PS VR, porém não estamos otimistas quanto à implementação, visto que sequer aparece o suporte na Steam.

Ressaltamos que o F1 2017 é um excelente jogo de automobilismo, com rede bastante estável para multiplayer, em todas as plataformas existentes, porém, com as devidas correções acima mencionadas bem como com as inovações farão com que o jogo fique ainda melhor.

3 comentários

    • Juliano em 14/07/2018 às 7:31 PM
    • Responder

    Da so uma corrigida no texto q esta sensacional. Barrichello não foi Vice em 2009 mas sim Sebastinan Vettel, Barrichello ficou em terceiro.

    1. Obrigado! Corrigido.

    • Gabriel de Paiva Amado em 11/07/2018 às 9:59 AM
    • Responder

    Seria legal se eles deixassem os Pit stops mais realistas, os mecanicos demorarem para tirar algum pneu. Outra coisa que seria bem legal também, seria, que, no modo carreira os oponentes te atacassem mais.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.